quarta-feira, 16 de março de 2016

24º Semana para Blodeuwedd: Testemunho Positivo


Você pode estar esperando que eu escreva uma experiência iluminadora ou visionária. Sejamos francos, essa ideia romântica da religião está um pouco (se não muito) ultrapassada. Parece que é obrigação a um ser humano religioso ser imaculado, ver vultos, fazer coisas extraordinárias e se aproximar da existência quase-divina. Não é bem assim que as hierofanias (manifestações religiosas) acontecem. Na verdade, muitos dos homens e mulheres que praticam uma religião responsável e seriamente sabem que esse olhar de que a espiritualidade te iluminará como um “ser especial” é uma ideia equivocada, que está inserida no interesse egoísta de hierarquizar praticantes em mais ou menos evoluídos. 

Logo lhe informo que não sou esse “ser especial”, mas um ser em potencial como qualquer outro. E essa potência espiritual pode ser acessada das mais diversas formas, nas mais diferentes crenças espalhadas pelo mundo, sem que uma sobrepuje a outra.  Quero dizer que o potencial é universal, a potência é multifacetada e a maneira que cada um entenderá os sinais é individual. Por isso mesmo em meus relatos você não observará coisas voando, luzes estranhas vindo do céu ou vozes invisíveis conversando comigo. Pelo contrário, os relatos vão falar de acontecimentos que, para outras pessoas podem não fazer sentido ou serem classificados como comuns, mas para mim são sinais. E como estamos falando de uma prática Druídica Moderna e Neo-Pagã, então  o voo de um pássaro ou o presente de um velho amigo podem ser um grito no silêncio do mundo. Você precisa sentir e compreender.

Blodeuwedd tem me dado símbolos a interpretar desde o início de minha jornada no Druidismo. Foi sua história que me chamou ao Druidismo, foi em seu totem animal que me apoiei, foi nas flores e plantas que tive seu contato, como também nos sonhos e rituais de primavera. O Rosto da Flor me trouxe ao Druidismo, esse contato espiritual se deu pelo Equinócio de Primavera, e foi minha iniciação pessoal. Blodeuwedd tem uma presença muito sutil que é necessário lidar. Ela é solitária, vem com toda a emoção das ondas do mar, com toda beleza das flores e com toda força de caça de uma coruja. É uma mistura potente de forças da natureza.

Tive muitos sonhos do qual senti a presença de Blodeuwedd. Corujas normalmente aparecem nesses sonhos, como também mulheres solitárias. Recentemente aprendi a pedir os sinais, em vez de esperá-los acontecer. Aconteceu que tive três sonhos intrigantes. No primeiro sonho, fui curado de algo e foi dito que deveria colocar flores no ambiente onde moro. No segundo sonho, uma coruja voou em minha direção e deixou cair duas penas, do qual eu colhi do chão. A coruja ainda falou comigo. E no terceiro sonho, foi pedido um novo nome de caminho. Vi um homem mais velho sentado em uma sala que me falava sobre a cultura do País de Gales e ele era a minha própria projeção no futuro. Só que não se apresentava com meu nome civil, e sim com outro nome, do qual anotei quando acordei.

Um outro relato, foi quando um amigo tirou cartas de um jogo divinatório para questões pessoais. Perguntei sobre espiritualidade, as cartas revelaram uma entidade que me acompanhava, com características muito próximas a Blodeuwedd. Isso me deixou muito feliz, já que para mim foi uma mensagem para não me sentir sozinho.

Ao colocar as flores em meu altar, o meu humor tem se transformado. Um novo altar surgiu e o antigo desapareceu. Uma verdadeira reviravolta tem acontecido em minha vida, e mesmo decisões que antes em não tinha certeza, venho conseguindo me centrar e meditar sobre. O culto de Blodeuwedd permanente nasceu, e não sinto mais que somente na Primavera ela deva ser invocada, mas todos os dias e estações, como uma mãe. Consegui penas de coruja sem sofrimento animal e coloquei em alguns objetos sagrados, como cajado, ramo de prata, e outros. Tenho me interessado por um oráculo de animais. No meu aniversário, recebi o presente de uma velha amiga que interpretei como um sinal importante, já que estava pedindo a confirmação do nome. Ela me trouxe um desenho de uma coruja floral. Mas o que me surpreendeu foi a palavra escrita em baixo do desenho, que seria a tradução do nome Galês que foi me dado.

Em resumo, eu estou em transição, em mudança, transformação. Minha mãe, Blodeuwedd, tomou para si várias formas: ondas, flores, mulher, esposa, rainha, amante, guerreira, coruja, um exercito espectral branco. Como eu haveria de não mudar? Essa é uma lição de Blodeuwedd: transformar, recomeçar, renascer.

/|\

domingo, 6 de março de 2016

23º Semana para Blodeuwedd: Literatura Evocativa


Quando me propus a escrever as 30 semanas de Blodeuwedd, encontrei em pesquisas essa literatura. Assumo que fiquei muito curioso, mas não despertei a encomendar o livro e lê-lo para poder escrever algo sobre ele. Mas vou tentar explanar um breve resumo do que a obra trata, através das sínteses que li em sites. (Eu acabei de encomendar o livro, que não tem versão em português, e vai demorar a chegar)

The Owl Service é um romance infanto-juvenil de terror, fantasia e ficção sobrenatural escrito pelo escritor britânico Alan Garner em 1967. A história do livro é inspirada e adaptada do Quarto Ramo do Mabionogion, na história de Blodeuwedd. O livro The Owl Service conta a história de três adolescentes que entram em contato com a mitologia de Blodeuwedd através de um jogo de jantar (Dinner Service ou Dinner Plates, daí o título da obra literária) que são ricamente decorados com motivos e desenhos de corujas florais, que são um tipo de selo mágico. Alison, Gwyn e Roger são os personagens principais, e após encontrarem o jogo de jantar, passam a descobrir sentimentos que estão ligados ao mito de Blodeuwedd e ao vale no País de Gales onde moram, do qual os três jovens são levados a repetir uma antiga história de ciúmes através de acontecimentos estranhos e assustadores. Nos textos e comentários que li, observei palavras como: "assombroso", "originalidade", "fantasia", "impressionante", "mágico". 

quinta-feira, 3 de março de 2016

22º Semana para Blodeuwedd: Texto Evocativo

Ilustração de Felipe Guga, 2016, publicada no Instagram